Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Margarida Marinho fica de fora da nova novela da TVI

Tozé Martinho, o autor, bem queria a actriz no elenco de Correntes, mas com um filho de 3 meses isso é impossível. Alexandra Lencastre também não vai entrar nas próximas produções da TVI.

As príncipais caras do elenco de Correntes estão escolhidas, incluindo as dos protagonistas ( Joana Solnado e Diogo Amaral), Margarida Marinho não irá entrar nesta nova novela por causa do Carlota, a sua filha que tem 3 meses, e ainda precisa muito da mãe.

"Ouvi dizer que não era possível", lamenta o autor, que adoraria contar com a actriz na trama, cujos primeiros 20 episódios já estão escritos: "Queria muito tê-la comigo, sou fã dela, mas por causa da criança não vai ser possível. É pena..."

Também Alexandra Lencastre, dada como certa em Correntes por uma revista, está, pelo menos para já, fora de hipóteses, apesar de, numa reunião recente, alguns responsáveis terem feito força para a convencerem a mudar de opinião. A actriz, recorde-se, pediu a José Eduardo Moniz, director-geral da TVI, uma pausa nas novelas para descansar e para poder dedicar-se em exclusivo ao seu programa no TVI 24, Conversa Indiscreta, e o director-geral parece ir respeitar essa vontade. Até aqui Tozé Martinho ficou a perder. "Gostava muito, mas é uma hipótese muito remota", diz, esclarecendo no entanto que o elenco está aprovado: Diogo Amaral e Joana Solnado ( vão ser os protagonistas desta novela), Margarida Vila-Nova, Bárbara Norton de Matos, Marta Andrino, Maria João Abreu, Alexandre Silva, Rita Salema, Pedro Lima, Sofia Grillo, Sara Leitão Barros, São José Correia, Sandra Cóias e Ruy de Carvalho já estão certos em Correntes.

Regressado de Macau, onde a novela vai ser gravada durante duas semanas no mês de Abril, o autor faz um balanço positivo da viagem de quatro dias que efectuou ao antigo território português na companhia de Moniz e André Cerqueira. "Correu bem deu para ver Macau com outros olhos. Já não ia lá há 11 anos e fiquei surpreendido. Parce Las Vegas", compara, revelando ainda que "os apoios" garantidos, alguns governamentais, foram importantes para resolver essencialmente problemas de logística.