Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

José Fragoso não sai da RTP1

Numa altura em que se comenta a possível saída de José Fragoso da RTP1, o director de programas do primeiro canal confessa que esse não é o futuro que está nos seus planos: "Não, eu não vou para a TVI. Estamos a viver uma situação normal em termos de mercado, com transferências, rumores e mudanças. Isso significa que o mercado tem valores e tem motivações que permitem aos profissionais, trocar de projectos e abraçar novos desafios. No caso da RTP, nós temos uma operação estabilizada e, por isso, não há qualquer motivo para alterar o que quer que seja". A completar três anos à frente da estação pública na próxima segunda-feira, José Fragoso explica que as decisões que tomou quando entrou para o canal já estão a surtir efeito: "Muitas das opções que tomei há dois anos ou dois anos e meio, quer na ficção, quer nos documentários, quer no entretenimento, só agora começam a ser assimiladas pelos espectadores".
Em relação ao facto de muitos criticarem a RTP1 por ter à sua disponibilidade um maior orçamento que as estações privadas, o director de programas do primeiro canal apenas tem a dizer que tal constatação não corresponde à verdade. "Julgo que o canal líder tem tendência a gastar mais dinheiro. E do meu ponto de vista, isso baterá com a realidade", confessou. Apesar de ter menos dinheiro para gastar este ano, José Fragoso tem noção de que isso não irá defraudar as expectativas dos telespectadores. A proximidade com estes tem sido desenvolvida através, por exemplo, de "programas como Praça da Alegria, Portugal no Coração, ou Portugal sem Fronteiras, ou em formatos pensados precisamente para o exterior, como é o caso do Programa das Festas , ao fim-de-semana, ou Verão Total, em Julho e Agosto.
Por fim, e sobre o facto de a RTP1 estar à frente da SIC nas audiências, o director de programas da RTP1 apenas tem a dizer o seguinte: "O que eu digo é que a RTP1 não pode trabalhar para ser líder de audiências. Nós não podemos viver no mercado concorrencial da SIC e da TVI. Nós temos obrigações específicas que nos obrigam a ter um posicionamento diferente. Agora, claro que gosto quando os programas fazem boa audiência".