Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

O veterano de 77 anos apresentou ontem pela última vez o 'Larry King Live', terminando a carreira na televisão

Adeus. O veterano de 77 anos apresentou ontem pela última vez o 'Larry King Live', terminando a carreira na televisão. Nos últimos 25 anos, entrevistou as mais poderosas e polémicas figuras

"Finalmente vou assistir aos jogos dos meus filhos"

Não é só pelo apelido que carrega que é considerado o "rei da televisão norte-americana". A sua forma de entrevistar e de estar concedeu-lhe o cognome. Larry King apresentou ontem pela última vez o seu talk show, Larry King Live, na CNN, deixando um histórico de 25 anos protagonizado por entrevistas às mais poderosas e polémicas figuras da actualidade. Ontem à noite, o "King" deixou de vez o trono.

No último Larry King Live, a entrevistada foi a cantora Barbra Streisand, mas houve ainda espaço para o depoimento de alguns jornalistas, artistas e políticos, que quiseram felicitar King.

Em Junho deste ano, na altura da comemoração dos 25 anos do programa, o apresentador já havia afirmado que se iria retirar, mas a data do último programa só esta semana foi revelada. "Estou ansioso pe- lo futuro. Vou passar a ter mais tempo para a minha mulher e filhos. Finalmente vou assistir aos jo-gos de futebol deles. Está na altura de pendurar os meus suspensórios", afirmou o apresentador, em alusão ao acessório que usa sempre em televisão.

O adeus de King já gerou vários comentários dos media norte- -americanos. "Ele era tão nonsense e directo com a Lady Gaga como era com o Putin", afirmou Katie Couric, do canal CBS. "Larry conferiu importância à CNN. Ele mudou os media através da sua presença. A sua forma de entrevistar era poderosamente eficaz", confessou Frank Sesno, da CNN. "Nunca nenhum programa que venha a seguir vai ter o sucesso deste. King sempre foi distinto", disse o site Newsday.

Ao longo do último quarto de século, praticamente todos os nomes relevantes das suas áreas profissionais foram entrevistados no Larry King Live. Senão vejamos. Na política, Barack e Michelle Obama, Bill Clinton, Al Gore ou Vladimir Putin estiveram em estúdio com King. Nas artes, alguns dos episódios mais vistos foram protagonizados por Michael Jackson, Madonna, Marlon Brando, Lady Gaga, George Clooney ou Paul McCartney. Ainda no entretenimento, também Oprah Winfrey passou por lá. Na religião, por exemplo, Dalai Lama foi entrevistado pelo apresentador. Contas feitas, foram mais de 50 mil as entrevistas realizadas por King no seu talk show semanal.

Larry King é um homem de muitas mulheres. Poucos sabem que o veterano da televisão já foi casado oito vezes com sete mulheres (repetiu o matrimónio com Alene Akins). No entanto, desde 1997 que se mantém casado e estável ao lado de Shawn Southwick. Dos vários relacionamentos, King tem quatro filhos e um enteado.

Larry nasceu em Brooklyn, onde os seus pais tinham, de resto, um restaurante. Cresceu no seio de uma família judaica, mas, com o passar dos anos, tornou-se agnóstico.

Iniciou a carreira como jornalista numa rádio da Florida, nos anos 50. Três décadas depois, em 1985, e com a popularidade que ganhou na rádio, foi convidado pela CNN para apresentar o Larry King Live. Ao longo da sua carreira já ganhou mais de dez prémios de televisão e de rádio.

Larry King despediu-se ontem do ecrã, tendo já a CNN anunciado o apresentador Piers Morgan como o substituto do espaço de antena de King. Morgan entra em antena em Janeiro, com um formato de entrevista.

Quanto a Larry King, continuará a fazer-se ouvir. Daqui para a frente, será na rádio, onde também conduz um programa. Mas, como já confessou o apresentador, se o bichinho da televisão apertar e a CNN insistir muito, é bem capaz de fazer uma ou outra participação em emissões especiais. O suficiente para ir matando saudades...