Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

ESPECIAL: MORREU José Saramago

saramago

José Saramago, escritor laureado com o Prémio Nobel da Literatura em 1998, morreu, hoje, aos 87 anos. O presidente da Associação Portuguesa de Escritores,  José Manuel Mendes, afirmou que se perdeu "uma referência luminosa". Um avião do Governo português partirá para Lanzarote para recolher o corpo de José Saramago que transportará depois para a capital portuguesa onde será realizada uma cerimónia fúnebre, confirmou à Lusa fonte diplomática portuguesa.
A fonte explicou que no avião, que ainda não está decidido se segue hoje ou no sábado, viajará a ministra da Cultura Gabriela Canavilhas.

De Madrid viajará hoje mesmo para Lanzarote o embaixador português.

"Perdemos não apenas o maior escritor português, mas uma referência luminosa de dignidade e grandeza à escala universal", disse José Manuel Mendes. "Era o meu melhor amigo, porventura", acrescentou, com a voz embargada.
Nos últimos anos, o trabalho de Saramago passava por uma grande reflexão sobre os dilemas do Homem, esforço intelectual que o escritor considerava estar em desuso, como disse numa entrevista ao Expresso, a 11 de Outubro de 2008.

"Creio que falta filosofia à sociedade actual. Filosofia enquanto espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo concreto, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, necessitamos do trabalho que é pensar e parece-me que, sem ideias, não vamos a parte nenhuma", excerto que está patente na abertura do seu blogue "Outros Cadernos de Saramago".

Bibliografia

Romance
Terra do Pecado, 1947
Manual de Pintura e Caligrafia, 1977
Levantado do Chão, 1980
Memorial do Convento, 1982
O Ano da Morte de Ricardo Reis, 1984
A Jangada de Pedra, 1986
História do Cerco de Lisboa, 1989
O Evangelho Segundo Jesus Cristo, 1991
Ensaio sobre a Cegueira, 1995
Todos os Nomes, 1997
A Caverna, 2000
O Homem Duplicado, 2002
Ensaio Sobre a Lucidez, 2004
As Intermitências da Morte, 2005
A Viagem do Elefante, 2008
Caim, 2009

Poesia
Os Poemas Possíveis, 1966
Provavelmente Alegria, 1970
O Ano de 1993, 1975

Crónica, Ensaio, Conferências, Memórias
Deste Mundo e do Outro, 1971
A Bagagem do Viajante, 1973
As Opiniões que o DL teve, 1974
Os Apontamentos, 1976
A Estátua e a Pedra, 1966
Folhas Políticas (1976-1998), 1999
Saramago na Universidade, 1999
Aquí soy Zapatista, 2000
Andrea Mantegna. Un'etica, un'estetica, 2002
El Nombre y la Cosa, 2006
As Pequenas Memórias, 2006

Viagens
Viagem a Portugal, 1981

Teatro
A Noite, 1979
Que Farei com Este Livro?, 1980
A Segunda Vida de Francisco de Assis, 1987
In Nomine Dei, 1993
Don Giovanni, ou o Dissoluto Absolvido, 2005

Diário
Cadernos de Lanzarote - I, 1994
Cadernos de Lanzarote - II, 1995
Cadernos de Lanzarote - III, 1996
Cadernos de Lanzarote - IV, 1997
Cadernos de Lanzarote - V, 1998

Conto
Objecto Quase, 1978
Poética dos Cinco Sentidos – O Ouvido, 1979
O Conto da Ilha Desconhecida, 1997
A Maior Flor do Mundo, 2001

Fontes: Editorial Caminho, Wikipédia


Saramago nasceu na aldeia de Azinhaga (Golgã) a 16 de Novembro de 1922, apesar de ter sido registado dia 18. Além de jornalista e escritor, foi desenhador, funcionário da Saúde e da Providência Social, editor e tradutor.

Publicou o primeiro livro em 1947, "Terra do Pecado", mas a segunda obra só chegou em 1966.

A partir de 1976 dedica-se exclusivamente à literatura e tem o seu maior sucesso comercial com "O Memorial do Convento" (1982).

Em 1983, Saramago foi agraciado com o Prémio Camões, o mais importante prémio da literatura portuguesa.

Mais tarde, "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" (1991) seria o romance mais polémico do autor. O secretário de Estado Sousa Lara (Governo PSD de Cavaco Silva) impediu que a obra concorresse a um importante prémio.

O livro "Ensaio sobre a Cegueira" foi adaptado para o cinema em 2008 pelo realizador brasileiro Fernando Meirelles.

Casado com a jornalista espanhola Pilar del Rio em segundas núpcias, tem uma filha e dois netos do primeiro casamento. Vivia na ilha espanhola de Lanzarote, onde tem uma fundação com o seu nome.