Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Cristiano Ronaldo chocado

Cristiano Ronaldo chocadoO futebolista português Cristiano Ronaldo manifestou-se "incrédulo, chocado e consternado" com as mortes e os estragos provocados pela calamidade que, no sábado, assolou a ilha da Madeira. O craque, natural do Funchal, já se prontificou para ajudar.

"É uma grande catástrofe, uma tragédia sem precedentes", lamenta o jogador num comunicado publicado no site da Gestifute, empresa que pertence ao seu empresário. De acordo com a nota, CR9, abreviatura pela qual Cristiano também é conhecido, passou todo o sábado com os olhos na televisão, visualizando vezes sem conta as imagens de destruição e de sofrimento humano que lhe iam chegando.

Lamentando profundamente a perda de mais de quatro dezenas de vidas, Cristiano Ronaldo não quis deixar de se "associar à dor de toda a população", ao mesmo tempo que se "solidariza" com todos os madeirenses, mostrando toda a sua disponibilidade para interagir com as entidades competentes.

"Ninguém pode ficar indiferente a esta calamidade de grandes proporções, muito menos eu que nasci e cresci na Madeira, uma ilha que, obviamente, me diz muito. É por esta razão que quero expressar a minha disponibilidade para, na medida do que me for possível, ajudar os organismos e entidades oficiais, no sentido de serem minorados e ultrapassados os efeitos desta grande devastação", afirma o futebolista do Real Madrid no comunicado.

Segundo SapoFama apurou, a casa onde Cristiano Ronaldo cresceu, localizada em Santo António, Funchal, bem perto da ribeira de São João, uma das que transbordou, não foi afectada, o mesmo acontecendo com a loja de pronto-a-vestir pertencente a uma das suas irmãs e que se localiza na Ajuda, uma zona alta da capital madeirense.

De acordo com os últimos dados oficiais, o temporal na Madeira provocou já 40 mortos, 120 feridos e um número desconhecido de desaparecidos e desalojados. Teme-se que o número de vítimas mortais, à medida que os trabalhos de remoção dos escombros forem avançando, possa atingir a centena.

2 comentários

Comentar post