Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

Tudo-Sobre-A-TV

MAIS DO QUE UM BLOG SOBRE TELEVISÃO

ESPECIAL: Moura Guedes diz que TVI ia emitir investigação sobre Freeport

Manuela Moura Guedes disse, hoje, que a TVI tem preparada uma investigação sobre o caso Freeport com documentação "que contradiz as informações que têm sido publicadas". A sub-directora de informação da TVI disse que a reportagem deveria ir sexta-feira para o, ar no Jornal Nacional, que foi retirado da grelha pela administração. Uma decisão que levou à demissão em bloco da direcção de Informação.

 

Manuela Moura Guedes referiu ainda que não sabe se e quando a investigação em questão será exibida.

A jornalista disse estar "muito triste" com o cancelamento do Jornal Nacional "pela liberdade de informação".


"Estou muito triste, não tanto por mim, mas pela liberdade de informação",
afirmou, acrescentando que não recebeu qualquer explicação para o fim do programa que apresentava.

Moniz diz que é um escândalo

O antigo director-geral da TVI, José Eduardo Moniz, disse que o cancelamento do Jornal de Sexta é um "escândalo".

"O que acaba de acontecer hoje é um escândalo a todos os títulos: do ponto de vista político, empresarial e da liberdade de informação em Portugal. É escandaloso que esta situação tenha ocorrido",
afirmou o actual vice-presidente da Ongoing.

Moniz recordou que no dia em que deixou a TVI referiu, em entrevista ao Jornal Nacional, que será "um escândalo se o Jornal de Sexta não fosse retomado em Setembro".

Para José Eduardo Moniz, esta posição demonstra "uma enorme falta de verticalidade da parte dos accionistas"- a empresa detentora da TVI, a espanhola Prisa.

"Acabam de revelar que não têm estatuto nem dimensão para terem um órgão de comunicação social em Portugal", disse.

A direcção de informação foi, até agora, composta pelo director, João Maia Abreu, e pelos adjuntos, Mário Moura e Manuela Moura Guedes. De acordo com fonte da estação, as demissões foram aceites, mas João Maia Abreu continua interinamente em funções. 

Alegadas motivações económicas

A decisão de suspender o Jornal Nacional de sexta-feira partiu directamente do presidente da Prisa, em Espanha, e foi comunicada à direcção da TVI hoje de manhã, disseram fontes da estação.

O director-geral da TVI, Bernardo Bairrão terá ainda tentado convencer a Prisa a não suspender o jornal de sexta-feira, apresentado por Manuela Moura Guedes.

O jornal de sexta da TVI é líder de audiências, não tem orçamento próprio e não é dispendioso, pois é praticamente todo feito com jornalistas da casa, asseguraram as fontes, desmentindo rumores de que a justificação para a decisão se prendia com os custos do noticiário.

O grupo Prisa, que em Espanha detém órgãos de informação como o El País, a cadeia de televisão Telecinco e cadena Ser, adquiriu a Media Capital - proprietária da TVI - em Julho de 2005 a Pais do Amaral.

Com Lusa